AVALIAÇÃO DEZEMBRO DE 2017:

Conforme monitoramento da regularidade na alimentação do Sistema de Informações sobre Nascido Vivo (SINASC) realizado pelo Ministério da Saúde a partir do banco de dados da base federal do período de avaliação de JUNHO de 2016 a SETEMBRO de 2017, consolidados em 11 de DEZEMBRO de 2017, atualizados até 30 de SETEMBRO de 2017, os municípios abaixo relacionados encontram-se irregulares, portanto, já indicados para bloqueio no repasse de recursos do Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS) a partir de JANEIRO de 2018, por não estarem até essa data de avaliação em conformidade com os parâmetros definidos nas Portarias:  GM/MS nº 1.378/2013 (artigos 33,36 e 39) e a GM/MS nº 47/2016 (artigo 3º e 5º).

 

  • 310900 Brumadinho* – bimestre novembro a dezembro/2016
  • 312430 Espinosa* – bimestre dezembro/2016 a janeiro/2017
  • 314180 Minas Novas – bimestre agosto a setembro/2017
  • 316870 Timóteo* – bimestre outubro a novembro/2016
  • 317080 Várzea da Palma* – bimestre novembro a dezembro/2016

Nota: * O município já está bloqueado desde o repasse de setembro de 2017.

 

De acordo com a Portaria GM/MS nº 47/2016, Art. 9º O Fundo Nacional de Saúde efetuará o restabelecimento do repasse dos recursos no mês seguinte a regularização da alimentação dos sistemas de informação referentes às competências que geraram a suspensão.

 

  • 1º A regularização do repasse ocorrerá com a transferência retroativa dos recursos anteriormente suspensos, caso o preenchimento dos sistemas ocorra até 90 (noventa) dias da data de publicação da suspensão.
  • 2º A regularização do repasse ocorrerá sem a transferência dos recursos anteriormente suspensos caso a alimentação dos sistemas ocorra após 90 (noventa) dias da data de publicação da suspensão.

 

Fonte: CGIAE/Ministério da Saúde – Relatório de avaliação da alimentação regular do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM).

Consulte aqui: Número de nascidos vivos esperados e metas consideradas pelo Ministério da Saúde para avaliação do SINASC, anos 2016/2017

AVALIAÇÃO NOVEMBRO DE 2017:

Conforme monitoramento da regularidade na alimentação do Sistema de Informações sobre Nascido Vivo (SINASC) realizado pelo Ministério da Saúde a partir do banco de dados da base federal do período de avaliação de JUNHO de 2016 a AGOSTO de 2017, consolidados em 08 de NOVEMBRO de 2017, com dados atualizados até 31 de AGOSTO de 2017, os municípios abaixo relacionados encontram-se provisoriamente irregulares, com alerta de bloqueio no repasse de recursos do Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS) a partir de JANEIRO de 2018, por não estarem até essa data de avaliação em conformidade com os parâmetros definidos nas Portarias:  GM/MS nº 1.378/2013 (artigos 33,36 e 39) e a GM/MS nº 47/2016 (artigo 3º e 5º).

  • 310900 Brumadinho* – bimestre novembro a dezembro/2016
  • 312430 Espinosa * – bimestre dezembro/2016 a janeiro/2017
  • 316870 Timóteo * – bimestre outubro a novembro/2016
  • 317080 Várzea da Palma* – bimestre novembro a dezembro/2016

Nota: * O município já está bloqueado desde o repasse de setembro de 2017.

OBSERVAÇÃO: O relatório informa a lista de municípios com o 3º alerta de bloqueio a partir de JANEIRO de 2018, para aqueles que mantiverem as irregularidades apontadas nos relatórios até 30 de NOVEMBRO de 2017 e aos ausentes deste relatório que venham a apresentar futuras irregularidades.

 

Fonte: CGIAE/Ministério da Saúde – Relatório de avaliação da alimentação regular do Sistema de Informações sobre Nascido Vivo (SINASC).

Consulte aqui: Número de nascidos vivos esperados e metas consideradas pelo Ministério da Saúde para avaliação do SINASC, anos 2016/2017

AVALIAÇÃO OUTUBRO DE 2017:

Conforme monitoramento da regularidade na alimentação do Sistema de Informações sobre Nascido Vivo (SINASC) realizado pelo Ministério da Saúde a partir do banco de dados da base federal do período de avaliação de JUNHO de 2016 a JULHO de 2017, consolidados em 09 de OUTUBRO de 2017, com dados atualizados até 31 de JULHO de 2017, os municípios abaixo relacionados encontram-se provisoriamente irregulares, com alerta de bloqueio no repasse de recursos do Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS) a partir de JANEIRO de 2018, por não estarem até essa data de avaliação em conformidade com os parâmetros definidos nas Portarias:  GM/MS nº 1.378/2013 (artigos 33,36 e 39) e a GM/MS nº 47/2016 (artigo 3º e 5º).

  • 310400 Araxá – bimestre maio a junho/2017
  • 310900 Brumadinho* – bimestre novembro a dezembro/2016
  • 311230 Capelinha * – bimestres abril a maio/2017, maio a junho/2017 e junho a julho/2017
  • 312430 Espinosa * – bimestre dezembro/2016 a janeiro/2017
  • 316870 Timóteo * – bimestre outubro a novembro/2016
  • 317080 Várzea da Palma* – bimestre novembro a dezembro/2016

Nota: * O município já está bloqueado desde o repasse de setembro de 2017.

OBSERVAÇÃO: O relatório informa a lista de municípios com o 2º alerta de bloqueio a partir de JANEIRO de 2018, para aqueles que mantiverem as irregularidades apontadas nos relatórios até 30 de NOVEMBRO de 2017 e aos ausentes deste relatório que venham a apresentar futuras irregularidades.

 

Fonte: CGIAE/Ministério da Saúde – Relatório de avaliação da alimentação regular do Sistema de Informações sobre Nascido Vivo (SINASC).

Consulte aqui: Número de nascidos vivos esperados e metas consideradas pelo Ministério da Saúde para avaliação do SINASC, anos 2016/2017

AVALIAÇÃO SETEMBRO DE 2017:

Conforme monitoramento da regularidade na alimentação do Sistema de Informações sobre Nascido Vivo (SINASC) realizado pelo Ministério da Saúde a partir do banco de dados da base federal do período de avaliação de JUNHO de 2016 a JUNHO de 2017, consolidados em 04 de SETEMBRO de 2017, com dados atualizados até 30 de JUNHO de 2017, os municípios abaixo relacionados encontram-se provisoriamente irregulares, com alerta de bloqueio no repasse de recursos do Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS) a partir de JANEIRO de 2018, por não estarem até essa data de avaliação em conformidade com os parâmetros definidos nas Portarias:  GM/MS nº 1.378/2013 (artigos 33,36 e 39) e a GM/MS nº 47/2016 (artigo 3º e 5º).

  • 310400 Araxá – bimestre maio a junho/2017
  • 310900 Brumadinho – bimestre novembro a dezembro/2016
  • 311230 Capelinha – bimestres abril a maio/2017 e maio a junho/2017
  • 312430 Espinosa – bimestre dezembro/2016 a janeiro/2017
  • 314180 Minas Novas – bimestre abril a maio/2017
  • 316870 Timóteo – bimestre outubro a novembro/2016
  • 317080 Várzea da Palma – bimestre novembro a dezembro/2016

OBSERVAÇÃO: O relatório informa a lista de municípios com o 1º alerta de bloqueio a partir de JANEIRO de 2018, para aqueles que mantiverem as irregularidades apontadas nos relatórios até 30 de NOVEMBRO de 2017 e aos ausentes deste relatório que venham a apresentar irregularidades.

 

Fonte: CGIAE/Ministério da Saúde – Relatório de avaliação da alimentação regular do Sistema de Informações sobre Nascido Vivo (SINASC).

Consulte aqui: Número de nascidos vivos esperados e metas consideradas pelo Ministério da Saúde para avaliação do SINASC, anos 2016/2017

AVALIAÇÃO AGOSTO DE 2017:

Conforme monitoramento da regularidade na alimentação do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) realizado pelo Ministério da Saúde em 04 de AGOSTO de 2017, com dados atualizados até 31 de JULHO de 2017, os municípios abaixo relacionados encontram-se irregulares, com bloqueio no repasse de recursos do Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS) a partir de MAIO de 2017, por não estarem em conformidade com os parâmetros definidos nas Portarias:  GM/MS nº 1.378/2013 (artigos 33,36 e 39) e a GM/MS nº 47/2016 (artigo 3º e 5º).

 

  • 310900 Brumadinho – bimestre novembro a dezembro/2016
  • 311230 Capelinha – bimestre abril a maio/2017 
  • 312430 Espinosa – bimestre dezembro/2016 a janeiro/2017
  • 313250 Itamarandiba – bimestres dezembro/2016 a janeiro/2017, janeiro a fevereiro/2017, fevereiro a março/2017, março a abril/2017 e abril a maio/2017
  • 314180 Minas Novas – abril a maio/2017
  • 316870 Timóteo – bimestre outubro a novembro/2016
  • 317080 Várzea da Palma – bimestre novembro a dezembro/2016

 

Portaria GM/MS nº 1.122 de 9/5/17  Suspende a transferência de recursos financeiros do PFVS e do PVVS do Bloco de Vigilância em Saúde dos municípios irregulares na alimentação do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM).

 

De acordo com a Portaria GM/MS nº 47/2016, Art. 9º O Fundo Nacional de Saúde efetuará o restabelecimento do repasse dos recursos no mês seguinte a regularização da alimentação dos sistemas de informação referentes às competências que geraram a suspensão.

 

  • 1º A regularização do repasse ocorrerá com a transferência retroativa dos recursos anteriormente suspensos, caso o preenchimento dos sistemas ocorra até 90 (noventa) dias da data de publicação da suspensão.
  • 2º A regularização do repasse ocorrerá sem a transferência dos recursos anteriormente suspensos caso a alimentação dos sistemas ocorra após 90 (noventa) dias da data de publicação da suspensão.

 

Fonte: CGIAE/Ministério da Saúde – Relatório de avaliação da alimentação regular do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM).

Consulte aqui: Número de óbitos esperados e metas consideradas pelo Ministério da Saúde para avaliação do SIM, anos 2016/2017